É possível perdoar (verdadeiramente) uma traição? Será que vale a pena?


O tema de hoje é espinhoso: traição. Será que dá mesmo para perdoar? Será que vale a pena perdoar?




Olá! Como vai?


Bem, primeiramente, acredito que cada caso é um caso e deve ser avaliado com calma. Obviamente depois de esbravejar, esmurrar (não que eu defenda a violência física, mas acho que nesse caso a pessoa merece uns bons safanões) e se acabar em lágrimas (será inevitável).


Escutar o que o outro tem para dizer quando se descobre a verdade, pode ser praticamente impossível. Sua raiva, mágoa e auto piedade não lhe permitirão. O melhor a fazer, depois de dizer umas poucas e boas para ele ou ela, é se afastar para refletir sobre o que aconteceu.


Espere a raiva passar (pelo menos o ápice dela) para depois deixar que seu companheiro ou companheira se explique. Ouça tudo, deixe que o ser humano rebole para se explicar. Avaliar se valerá a pena perdoar vai começar daí: como aconteceu e quais os motivos?


Porque se o motivo da traição for a pessoa ter se apaixonado por outra, minha amiga ou meu amigo: esqueça! “Game over”. Coloque um ponto final nessa história e siga sua vida.


Da mesma forma vale pensar se ele/ela traiu porque tem um histórico de ser um traidor(a), ou com você (já te traiu antes), ou cometeu o mesmo “deslize” em outros relacionamentos anteriores ao de vocês.

Nesse caso também acredito que o melhor seja tirar seu time de campo! Porque está na cara que mesmo que você perdoe, vai acabar acontecendo outra vez. E ninguém merece ficar passando por tanto sofrimento e humilhação.


Mas ainda existem outras possibilidades, como por exemplo: o relacionamento de vocês estava ótimo, mas ele/ela foi assediado por uma pessoa: sedutora, persuasiva e irresistível, e acabou sucumbindo aos encantos desse ser. A pessoa errou, foi fraca, mas se arrependeu profunda e amargamente. Deu provas de seus sentimentos, teve inclusive dificuldade de perdoar a si mesma e jurou que nunca mais vai acontecer. Dá para perdoar nesse caso? Não sei. Não sei se eu seria capaz de perdoar. Mas amando de verdade meu companheiro, conhecendo-o bem e tendo certeza de sua dor, de que está mesmo arrependido e sendo sincero, eu poderia lhe dar uma segunda chance, talvez. Depois de deixá-lo um bom tempo “na geladeira” (para remoer o que fez e pensar nas consequências que causou).


Outra situação poderia ser justamente o contrário, ou seja, vocês se amam, têm uma linda história juntos, mas a vida foi ficando corrida, o relacionamento desgastou, de repente parece haver um abismo entre vocês e, confuso, seu companheiro acaba procurando uma aventura sexual, para “dar uma escapadinha da vida real”. Depois de o fato consumado, ele se sente péssimo e profundamente arrependido. Acaba contando ou você descobre. Dá para perdoar nesse caso? Não sei também. Vai depender do tamanho de sua mágoa e seu orgulho, mas acho que valeria parar para conversar, repensar o relacionamento e, de repente, dar a vocês dois uma segunda chance.


Está vendo como o assunto é espinhoso, complicado e pode ter muitas nuances?


Resolvi escrever sobre isso porque abordo esse tema no meu romance “Impossível não te amar”, que estou postando no Wattpad. Clique aqui para ler gratuitamente.


Quaisquer que tenham sido as circunstâncias da traição, só você poderá decidir se consegue perdoar ou se acha que valerá a pena. Tenha calma, não tome nenhuma atitude precipitada. Converse com sua mãe, irmã, ou uma grande amiga. Reze e peça a Deus que lhe ilumine sobre qual melhor decisão a se tomar, mas acima de tudo: ouça seu coração. Afinal, somos humanos, falíveis e às vezes podemos errar feio, “cometer muitas cagadas” e colocar um relacionamento de anos em risco, jogar uma linda história fora ou até mesmo a própria felicidade.


Desejo que nunca passe por isso, mas se algum dia acontecer, que saiba ponderar com cuidado o que quer para seu futuro e não tenha medo de colocar um ponto final e seguir em frente. De repente, pode ser a melhor coisa que vai fazer na vida!


Sou romântica e torço por finais felizes, de um jeito ou de outro. Às vezes a felicidade virá de um recomeço juntos, em outras ocasiões, virá de recomeçar sozinhos, cada um para seu lado.


Reflita aí!


Beijo grande e até a próxima!


Renata R. Corrêa


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags