Quando o amor vira medo. Alerta! Saiba mais sobre relacionamentos abusivos.

Relação abusiva é aquela onde predomina o excesso de poder sobre o outro. É o “desejo” de controlar o parceiro, de “tê-lo para si”. Esse comportamento, geralmente, inicia de modo sutil e aos poucos ultrapassa os limites causando sofrimento e mal estar. Saiba mais agora!



Cada dia mais se fala sobre relacionamentos abusivos e é muito triste pensar que muitas mulheres vivem situações assim. Os abusos podem ser verbais, psicológicos ou até mesmo agressões físicas.


Este é um tema que afeta uma enorme quantidade de pessoas e que cobra muitas vidas em diferentes lugares do mundo. Por isso é fundamental conhecer seus sinais o mais cedo possível, para que essas relações sejam cortadas desde o início, porque com o tempo sempre ficará mais difícil.


Muitas pessoas criticam e costumam pensar ou falar “Por que essas mulheres se submetem a isso? Por que não conseguem simplesmente terminar o relacionamento e ir embora?”. Entenda melhor agora:


Segundo uma recente matéria, de 2 de maio de 2018, publicada pela revista Super interessante, o pesquisador americano Saunders aponta alguns fatores para as mulheres não deixarem seus agressores.


Fatores para as mulheres não deixarem seus agressores:

  1. Um dos mais comuns é a falta de recursos – a mulher talvez não tenha um emprego, ou não ganhe o suficiente para se sustentar sozinha. Se ela tiver filhos, a situação fica ainda mais complicada.

  1. Outro motivo é a falta de apoio da família, amigos e colegas, que muitas vezes não acreditam ou até culpam a vítima pelo abuso; e há ainda o medo: afinal, as mulheres podem ter motivos reais para temer por sua vida caso deixem seu companheiro. Um estudo feito pelo próprio professor Saunders constatou que o risco de homicídio aumenta logo depois de a vítima deixar o abusador.

  1. O parceiro não é violento o tempo todo, mas também se mostra gentil e sensível;

  1. O parceiro se mostra arrependido e a vítima fica com pena;

  1. Ele diz que vai procurar tratamento e a vítima cria esperanças de que ele vá mudar;

  1. Ele menospreza a vítima e destrói a sua autoconfiança, o que faz com que ela se sinta presa a essa situação e tenha vergonha de pedir ajuda.

“Deixar o parceiro é frequentemente um processo complexo com vários estágios: minimizar o abuso e tentar ajudar o agressor; abrir os olhos ao fato de que o relacionamento é abusivo e perder a esperança de que vai melhorar; e, finalmente, focar nas próprias necessidades de segurança e sanidade e lutar para superar os obstáculos externos”, escreve o professor.


O que o pesquisador sugere para que essa realidade mude, é que os meninos sejam criados desde pequenos de modo a terem mais cuidado e respeito com as mulheres.


10 sinais de que o relacionamento é abusivo:

  1. O parceiro constantemente tenta diminuir a parceira, em conversas procura sempre mostrar que ela não entende nada e que sua opinião não é importante, acabando, com o tempo, com auto-estima da mulher.

  1. Ele costuma se achar no direito de controlar a vida e as escolhas da parceira.

  1. Não costuma aceitar um “não” da companheira, que acaba fazendo coisas contra sua vontade no relacionamento, tanto no dia a dia, quanto no sexo, por medo.

  1. Costuma falar que nenhum outro homem vai amá-la ou aceitá-la do jeito que é, só ele.

  1. Ele não reage bem as conquistas da mulher.

  1. Ele faz a mulher se sentir culpada por ele ficar agressivo.

  1. Toda vez que grita, humilha ou é agressivo, promete em seguida que nunca mais vai fazer aquilo.

  1. Inicialmente não costuma ser diretamente agressivo, mas desconta a agressividade e raiva dando chutes e socos em móveis na casa.

  1. Não deixa a parceira comentar “as coisas do casal” com outras pessoas, fazendo terror psicológico quanto a isso, afastando-a de familiares e amigos, com o tempo.

  1. Bate na mulher.


Mas como sair de uma situação dessas?


Ao perceber que está sofrendo abuso, é fundamental que se procure ajuda. Todas as unidades de saúde públicas do país podem ajudar, encaminhando a mulher para uma conversa com uma assistente social e uma psicóloga, que, além de apoio emocional, poderão orientar a como proceder dali em diante e darão o suporte necessário.


Procurar apoio da família ou de amigos, é fundamental, pois mulheres vindas de relações desgastadas e rompidas, ficam fragilizadas e com baixa auto-estima. Criar e fortalecer laços sociais e familiares as farão se sentirem mais seguras e acolhidas, fortes para tomarem as decisões necessárias para romperem com a situação que estão vivendo.


O assunto é muito atual, e eu o abordo em meu novo romance “Impossível não te amar”, uma história que estou postando gratuitamente no Wattpad. Acompanhe clicando aqui.


Beijos e até a próxima semana!



Fontes de pesquisa para compor a matéria:

https://super.abril.com.br/blog/como-pessoas-funcionam/por-que-tantas-mulheres-continuam-em-relacionamentos-abusivos/

https://www.contioutra.com/15-sinais-claros-de-relacionamentos-abusivos-mas-que-pessoas-custam-enxergar/

http://reporterunesp.jor.br/2015/08/20/psicologa-explica-relacionamentos-abusivos-o-que-e-e-como-lidar-com-essa-situacao/

https://melhorcomsaude.com.br/7-sinais-precoces-relacionamentos-abusivos/

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags