Já ouviu falar sobre a Síndrome de Burnout? É uma doença séria. Conheça!

A Síndrome de Burnout é um esgotamento físico e emocional decorrente do trabalho excessivo e desgastante, cada vez mais comum na atualidade. Abordo o tema em meu romance "Um ano sabático". Saiba mais lendo este texto.


Síndrome de Burnout

Oi! Hoje venho falar de um assunto muito importante, uma doença muitas vezes difícil de ser diagnosticada e cada vez mais comum: a Síndrome de Burnout. Já ouviu falar?


Síndrome de Burnout. O que é?

A síndrome de Burnout, tema do meu romance "Um ano sabático", é caracterizada por um esgotamento físico e psíquico, decorrente da insatisfação com o trabalho excessivo e degradante, que gera insatisfação também na vida pessoal e muitas vezes é acompanhada de sintomas de ansiedade e depressão. O termo Burnout vem do inglês e significa "Queimar", foi criado pelo psicanalista Herbert Freudenberger em 1974 ao diagnosticar a doença em si mesmo e em colegas.

Queimar... é isso que a doença faz: ela queima, destrói os sonhos da pessoa, tirando sua esperança e alegria de viver. De repente nada mais faz sentido, todas as escolhas tomadas parecem ter sido erradas e a pessoa se vê sem rumo, desanimada, cada dia mais infeliz.


Quem está mais propenso a adoecer de Burnout?

Profissionais da área da saúde, bombeiros, policiais, assistentes sociais, artistas, arquitetos/engenheiros, bancários, executivos, controladores de voo e jornalistas, estão mais sujeitos a ter Burnout.


Características da doença:

Três características marcam a doença:

1- Exaustão física e emocional: dores musculares, cansaço extremo, desânimo, distúrbios do sono, solidão, raiva, impaciência, irritabilidade, mudanças bruscas de humor, sintomas depressivos como baixa auto-estima, raciocínio lento e desesperança.

2- Despersonalização ou ceticismo e distanciamento afetivo: a pessoa se torna ranzinza, irônica e negativista. E a presença de outras pessoas se torna indesejada.

3- Baixa produtividade no trabalho: decorrente da insatisfação progressiva tanto na vida pessoal, quanto profissional.


É uma doença grave. Precisa ser conhecida, falada, reconhecida e tratada.

Aparentemente pouco se nota numa pessoa passando por Burnout. Mas quem a conhece bem, perceberá que ela já não é mais a mesma.

Estudos têm mostrado uma relação direta da doença com transtornos ansiosos, desenvolvimento de doenças crônicas como a fibromialgia, abuso de álcool e outras substâncias ilícitas, e até ideações e tentativas suicidas.


Diagnóstico e tratamento:

Pessoas com sintomas descritos acima devem se consultar com psicólogo e psiquiatra, que poderão fazer o diagnóstico numa anamnese (entrevista clínica) e também poderão se utilizar de questionários para avaliar respostas psicométricas, baseados na Escala Likert.

O tratamento consiste em: mudança no estilo de vida (descanço, relaxamento, descoberta de coisas que tragam alegria e entusiasmo), atividade física, psicoterapia e pode ainda ser aliado a medicações antidepressivas, ansiolíticas e medicações para dormir, geralmente prescritas por um prazo máximo de 1 ano (com redução gradual nesse tempo).


Gatilho:

A doença geralmente é desencadeada pela busca excessiva pelo perfeccionismo, e por uma excelência muitas vezes impossível de ser alcançada. Há uma cobrança excessiva de si mesmo e um engajamento no trabalho que vai além dos limites suportáveis. O portador de Burnout mede sua auto-estima pela realização profissional.



É preciso falar sobre o assunto

Com a publicação de "Um ano sabático", cujo termo significa tempo de descanso para reflexão, espero ajudar muitas pessoas que estejam passando por situações semelhantes a da protagonista Rafaela, uma jovem fisioterapeuta que começa a se sentir infeliz tanto na vida pessoal, quanto profissional, até que um dia desmaia na clínica onde trabalha, é levada para um hospital e diagnosticada com Burnout. Na sua jornada em busca de si mesma, de sua recuperação e da felicidade perdida, ela redescobrirá antigos valores, perceberá a beleza da simplicidade da vida, voltará a fazer coisas que amava e conhecerá o amor verdadeiro. Espero que essa história seja inspiradora e desperte a esperança de que é possível recomeçar do zero e voltar a ser feliz.


Agradeço aqui ao psiquiatra dr Gustavo Resende Pereira, de Uberlândia-MG, que me deu esclarecimentos preciosos sobre a síndrome, tendo sido uma importante fonte de pesquisa para escrever meu livro.


Conheça meu livro "Um ano sabático" (compre aqui)

Selecionei alguns quotes (trechos do livros) para vocês:


"Quando os sonhos se transformam em pesadelos e nada mais parece fazer sentido, só há uma escolha a ser feita: abandonar tudo e recomeçar do zero, em busca de si mesmo e da felicidade perdida."


"Eu dava tudo de mim para meu trabalho, mas, com o tempo, aquelas horas excessivas sem descanso foram me deixando esgotada. Começou a ficar difícil conciliar minha vida pessoal e profissional."


"— Síndrome do quê? — Olhei para ele espantada, pois nunca tinha ouvido falar naquele nome.

— Burnout, querida. É uma doença caracterizada por um esgotamento psíquico, relacionado ao trabalho excessivo. — Anotou algo em sua prancheta enquanto falava:

— Mas pedirei ao psiquiatra para vir vê-la, ele poderá lhe explicar melhor."

"— O Burnout, Rafaela, além de ser caracterizado por um estresse intenso, tem algumas outras características muito parecidas com a depressão e ansiedade — falava calmamente. — Geralmente se desenvolve depois de um esforço excessivo no trabalho, quando o desejo de realização profissional se transforma em obstinação e compulsão.

— Eu estava mesmo trabalhando demais e me sentindo exausta. — Respirei fundo, tentando assimilar tudo aquilo."


"Não sei em que momento me perdi de mim, em que momento deixei que o trabalho ocupasse o lugar mais importante de minha vida. O fato é que demorei para entender certas coisas, e foi de uma maneira muito difícil."


"O sofrimento dura enquanto o estamos vivenciando, depois o que sobra são vagas lembranças do que passamos, e penso que isso tudo é incrível, essa capacidade humana de esquecer a dor e de seguir em frente é que nos faz fortes para enfrentar tudo de novo, se preciso for."


Espero ter ajudado de alguma forma com meu texto de hoje. Leiam meu romance e não vão embora sem inscrever o email de vocês aqui no site para receberem as notificações de textos novos e ficarem por dentro de muitas novidades!


Beijos,


Renata R. Corrêa



Fontes para escrever o texto sobre a Síndrome de Burnout:

Revista Claudia: https://claudia.abril.com.br/saude/burnout-os-sinais-da-sindrome-que-e-causada-pelo-esgotamento-no-trabalho/

Site do dr Drauzio Varella: https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/sindrome-de-burnout/

Tua Saúde: https://www.tuasaude.com/sintomas-da-sindrome-de-burnout/

site Psiologias do Brasil: http://www.psicologiasdobrasil.com.br/burnout-sindrome-de-esgotamento/

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags